quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Centro de Design e Arquitetura de Glasgow

          O The Lighthouse Centre Of Glasgow é um centro de visitantes com espaço para convenções, cujo tema é relacionado com a arquitetura e design. Serve como instituição de fomento e propulsor de atividades relacionadas ao exercício do desenho técnico e artístico, além de trabalhar para a proteção e manutenção do patrimônio histórico edificado na cidade e no país. Nele podemos encontrar laboratórios, escritórios, áreas de conferências, salas exibição e espaços de nogócios que promovem juntos ou separadamente vários programas ricos em eventos e atividades diversas. Existe também no primeiro andar uma loja de design.


           Fundado em 1999, dando nova função à um belíssimo edifício de tijolos vermelhos datado de 1895, que serviu de sede de um importante periódico local e reafirmando a vocação de Glasgow como importante centro de arquitetura e design no Reino Unido, tem em seus domínios uma ala, que pode ser entendida como um pequeno museu, dedicada ao seu mais célebre arquiteto: Charles Rennier Mackintosh.
           

              A visita ao Lighthouse é quase que obrigatória para todo o arquiteto que vai à Glasgow. É o início de um passeio temático em torno do nome de Mackintosh. O prédio sede desse centro cultural é a primeira de suas obras a ser visitada em um tour que passa por algumas casas de chá da área central e acaba na Escola de Design a poucos quarteirões de distância. 


            Tem-se nesse centro cultural um apanhado de toda a obra desse arquiteto e design de móveis, que ainda é o nome mais famoso da Escócia nessa área. Painéis informativos e cronológicos contam a trajetória e detalhes da sua vida com fotografias e desenhos de inestimável valor histórico. Muitos projetos, croquis e maquetes provam o quão magnífico é o seu legado. 

Abaixo, posando ao lado da maquete da Escola de Arte de Glasgow.


             Além de todo o material iconográfico, textos e maquetes a sala exibe um conjunto de móveis que fizeram a fama de Mackintosh como um dos grandes designer do início do século XX. Algumas de suas mais belas peças de mobiliário (na maior parte cadeiras) estão em exibição permanente e podem ser tocadas e testadas a vontade.

          Belíssima, a cadeira Willow, em formato de meia-lua e encosto parcialmente quadriculado, é uma das peças icônicas do Art Noveau escocês. Sua estrutura de madeira, sempre recebe tratamento escurecido e o assento pode ter diferentes cores como azul, verde ou rosa, ainda que o vermelho seja o mais encontrado. O mais importante (e obrigatório) é que a cor do tecido deva ser sempre muito vibrante, para contrastar com a madeira escura. Um detalhe curioso: a cadeira foi criada para também funcionar como peça divisora de ambientes.



          A cadeira Argyle Street, em madeira amendoada, com espaldar altíssimo e assento estofado, possui linhas que remetem ao desenho ancestral celta. Desenhada por volta de 1898, para compor a decoração interna de uma casa de chá situada na rua que lhe dá o nome, atravessou o século vinte e mantém-se ainda muito atual. Com marcadas característica das linhas adotadas por Charles Rennier em seus projetos de mobiliário, é um de seus clássicos e divide fama com outras cadeiras expostas permanentemente nessa área.



Algumas maquetes de obras não executadas. 





A escada helicoidal que leva ao terraço no topo da torre do prédio que antes servia como caixa d'água.


Nenhum comentário:

Postar um comentário